Engenho Sítio Campo Alegre – Tradição Secular

O projeto “A Cana, o Açúcar e muito mais” vem apresentar hoje a rotina do Engenho Sítio Campo Alegre. Com tradição secular, o moinho trazido da Europa para o Brasil, garante o sustento da
família de Salomão de Oliveira há mais de cem anos.

Com a produção da deliciosa rapadura e do açúcar mascavo, os produtores goianaenses mantém o legado de nossa gente, movimentando a cultura e a economia do município.

Com a palavra, nosso destaque de hoje, Salomão:

“O engenho de moagem de canas do Sìtio Campo Alegre, segundo os antepassados, foi fabricado na Europa – Inglaterra ou Alemanha – no final do século XIX e foi importado pelo Brasil no início do século XX.Funciona por tração animal (sistema helicoidal cônica de dentes retos) onde tuas pesadas moendas recebem toda força do sistema.

Foi adquirido pelo meu avô na década de 1920 – cem anos atrás – e pelo trabalho duro trouxe muita renda para sua família. Adquirido pelo meu pai em 1953, também mediante muito trabalho contribuiu para o nosso sustento. Agora essa obra prima está comigo – terceira geração e última a trabalhar com ele. Fabrico melado, açúcar mascavo e rapaduras puras ou misturadas. Produz a maior renda do sítio.

Em nossa Era Industrial, esse engenho centenário, funcionando em boas condições, vai parar de trabalhar, provavelmente irá para um mostruário.”

Você é empreendedor do turismo e busca oportunidades e negócios? Então inscreva-se no Cadastur

Você é empreendedor do turismo e busca oportunidades e negócios? Então inscreva-se no Cadastur. Trata-se de um banco de dados de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor de turismo. O sistema garante diversas vantagens e oportunidades aos seus cadastrados e é também uma importante fonte de consulta para o turista. Leia mais

Goianá promove roda de conversa sobre patrimônio cultural com agentes do setor

A Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Goianá promoveu neste domingo, dia 19, uma roda de conversa com o tema “Agentes Culturais no fortalecimento do Turismo e Patrimônio Cultural”. A roda falou sobre patrimônio, memória e preservação, abordando não somente os bens tombados, mas toda riqueza cultural de Goianá, em diversas áreas. Leia mais